SUICÍDIO: QUAL A DOR QUE TE CAUSA DOR?

10/09/2017 imprimir


O pensamento suicida aparece com uma freqüência muito maior do que imaginamos, pois nem sempre este pensamento é declarado as pessoas ao redor, talvez por medo de ser interpretado erroneamente pelas pessoas ou por não conseguir elaborar o assunto a ponto de colocar para fora e compartilhar com alguém.A ideação suicida surge quando a pessoa acredita que não há solução para seus problemas. Esse tipo de pensamento pode vir à mente em momentos de crise. A crise é identificada em meio a desorganização mental, estresse e sensação de incapacidade de solucionar os problemas da vida.Nem sempre o ato é concretizado, muitas vezes o sofrimento se prolonga mas ao pessoa, talvez por acreditar em alguma possibilidade de melhora, não chega ao suicídio. Costuma haver um aviso, algo foi dito ou feito que demonstrasse pensamento suicida. O impulso para agir tem um tempo limitado, as idéias de morte persistem por algum tempo, mas ainda assim, normalmente, a pessoa consegue resistir ao impulso de concretizar essa ideia.Na adolescência, devido às crises e mudanças, o pensamento suicida pode ser repleto de questionamentos, ansiedades, angústias, medos e frustrações. Neste sentido, o pensamento recorrente de suicídio, pode não significar o desejo de não mais viver, mas sim o desejo de não mais sofrer. Talvez esta pessoa considere que já realizou tentativas de apaziguar o sofrimento mas devido a falta de sucesso considerou que eliminando a própria vida, poderia eliminar toda a dor associada. Neste sentido, como os pais ou familiares podem ajudar pessoas com ideação suicida?É muito importante a percepção do desejo de suicídio o quanto antes!! Dentro de casa, os pais devem oferecer com frequência um espaço de diálogo para discutir este tema e outros que implicam em dificuldades para o adolescente. O acolhimento familiar e de amigos é essencial nestes momentos de crise, não devendo julgar os sentimentos que estes apresentam, ou os tratar com descaso, mas sim compreender.A indicação inicial de tratamento para casos de ideação suicida tanto para adolescentes quanto adultos independente do fator motivador, é o tratamento medicamentoso com psiquiatra e a psicoterapia com psicólogo, pois um tratamento complementa o outro, sendo ambos necessários neste momento!

10/09/2017 imprimir Voltar