Mas afinal, o que faz um psicólogo clínico? TIPOS DE COMUNICAÇÃO: VERBAL, NÃO-VERBAL E PARAVERBAL

22/08/2017 imprimir


A comunicação VERBAL é aquela realizada através da FALA, são as palavras que usamos e seu conteúdo, seu significado, através da qual transmitimos e recebemos ideias. A comunicação NÃO-VERBAL é aquela que acontece através da POSTURA e dos GESTOS. Podemos saber que uma pessoa está impaciente se ela está andando de um lado para o outro, ou por outros sinais mais sutis, que podem ser característicos daquela determinada pessoa. Estas duas formas de comunicação são acessíveis e facilmente perceptíveis a todas as pessoas. A comunicação PARAVERBAL, embora esteja presente o tempo todo, é mais difícil de reconhecer e de interpretar, pois depende de TOM DE VOZ e RITMO, e estes dois elementos podem mudar completamente uma mesma frase, por mais simples que seja.Por exemplo, se alguém diz “por favor, venha aqui”, dependendo do tom de voz pode ser um CONVITE, um pedido educado. Se o tom de voz for áspero, a comunicação pode mudar completamente, e tornar-se uma ORDEM e deixar no ouvinte uma impressão clara de “lá vem bronca”.Um mero “Hum”, palavra de 3 letras que não quer dizer nada fora de contexto, pode ter o sentido de frases inteiras, variando apenas entonação e ritmo. Você certamente conseguirá dizer em seu pensamento vários “hums” diferentes: se for longo, subindo e descendo o tom é “ah, entendi”, se for curto e subir para um tom mais agudo é “como é que é?”, se for curto e grave significa “tá bom, aceito, mas não gostei”. A lista de variações é enorme.É no campo das comunicações PARAVERBAIS, sutis, que acontece, por exemplo, a ironia quando uso palavras para dizer seu contrário, assim, se sou comunicado que terei que fazer plantão posso exclamar “que maravilha!”, para dizer justamente que não estou feliz com a notícia. Também é neste campo que acontecem as COMUNICAÇÕES DUPLAS, em que as palavras dizem uma coisa, mas o MODO de dizer dá margem a outros entendimentos. Por exemplo, se um jovem insiste com sua mãe que quer sair com os amigos, e ela finalmente diz “pode ir”, a comunicação verbal diz SIM, o tom de voz VÁ, MAS ESTOU MAGOADA COM VOCÊ. Some-se a isso o fato de que cada um de nós tem uma “tendência” na hora de interpretar o que é ouvido. Por exemplo, se tenho características de insegurança, seja de minha personalidade ou do momento que vivo, interpretarei com mais frequência o que ouço com reprovações. Assim acontece boa parte das dificuldades nos diferentes relacionamentos interpessoais, em casa, no trabalho, no casamento, etc. Conhecer diferentes aspectos de linguagem e comunicação é importante na atuação do psicólogo para ajudar o paciente a desfazer confusões nas comunicações e conhecer as expectativas implícitas na maneira como se expressa.

22/08/2017 imprimir Voltar